Uma marca para a Libertadores da América

Aloha!

Quem me conhece, ou me acompanha pelas redes sociais, sabe o quanto sou fã de esporte. E claro, o primeiro deles é o futebol. E por conta da minha atuação profissinal, não teria como não olhar para os esportes também sob um ponto de vista mercadológico, de produto a ser consumido. Por esse motivo sempre estou lendo sobre marketing e branding esportivo, acompanhando as grandes ligas européias (UEFA Champions League, Premier League, Bundesliga) as sensacionais ligas americanas (em especial NFL e NBA) e sempre babando em como esses caras conseguem fazer do esporte um produto de extrema qualidade e lucrativo. E claro, isso passa pela gestão das respectivas marcas.

A inevitável comparação com a gestão do futebol brasileiro e sul-americano também não poderia faltar. Por esse mesmo motivo, meu trabalho de conclusão de curso na pós-graduação em Design Estratégico de Marcas era o estudo e estruturação de uma marca para o campeonato brasileiro de futebol. Por falta de tempo para me dedicar a ele, esse trabalho nunca tomou o corpo que eu desejava e está aqui na gaveta, infelizmente.

Mas tem mais gente interessada nesse mesmo assunto e fazendo um trabalho excelente. É o caso do Ricardo Carvalho e Rodrigo Levenzon, especialistas em branding que fizeram um projeto não-oficial a fim de tentar entender alguns dos atributos do futebol da América do Sul afim de projetar uma marca para a Copa Libertadores da América.

Interessante ver como eles usaram o fato de que nessa região do planeta não existem grandes estádios ou grandes jogadores aos montes. Mas existe algo que, com exceção da Alemanha, anda faltando na Europa (por várias razões que não colocarei em questão agora): torcida quente! Com certeza é o atributo que nos diferencia dos que estão do outro lado do Atlântico.

O projeto é maravilhoso, bebeu das fontes certas e é muito bonito. Usaram a história das antigas civilizações sul-americanas com uma das bases para a tangibilização do projeto, um golaço! Destaque para o lettering que está soberbo e para a tipografia da marca.

Mostra que com um pouco de trabalho é possível dar uma CARA para a Copa Libertadores da América. Não é preciso ser especialista para saber que isso tornaria o produto muito mais interessante para novos patrocinadores.

Apesar de ser um projeto apenas para fins de estudos, é interessante comentar um fato apontado por um leitor do BrandNew: as referências do projeto fazem lembrar o Independiente, clube argentino conhecido como Diabos Vermelhos e que é o recordista de títulos da competição. Outro ponto importante: algumas aplicações eu vejo como impossíveis, principalmente por conta da cor e das torcidas. Talvez em um projeto oficial, isso teria que ser repensado para não criar repulsa em outros clubes, principalmente os que tem como rivais locais clubes que usam vermelho. Mas evidente que isso são detalhes que não tiram, nem um pouco, o brilho e a importância do trabalho do Ricardo e do Rodrigo.

Para ver (e ler) o projeto completo, corre lá no site que eles criaram que está supimpa! LINK