Dossiê logo copa 2014 (antes do lançamento)

LEIA O NOVO ARTIGO DO LOGOBR, ESCRITO APÓS O LANÇAMENTO OFICIAL DO LOGOTIPO.

Aloha!

O LOGOBR tem por missão o disseminar conhecimento. Os leitores mais antigos sabem que, se vamos falar de algum assunto que está sendo muito discutido, buscamos informações relevantes, que ainda não foram ditas, para que se justifique um novo artigo sobre um assunto que deve ter sido replicado em inúmeros blogs e sites. Por isso, esse post só vem ao ar hoje, oito dias depois que começou a ser escrito.

Esse ai é o logotipo para a Copa 2014,  Brasil. Dado como furo pelo portal iG, o logo é uma alusão a três mãos que juntas formam a Taça FIFA. Somente com a imagem em preto e banco, o logo trazia o nome BRAZIL, usando “Z”. Ainda segundo o iG, ele seria usado em diversas cores. Claro, a web brasileira foi inundada por protestos. Comparações com Chico Xavier, roubalheira dos políticos e até com o ótimo projeto para a Euro 2012.

A coisa ficou mais feia algumas horas depois, quando o GloboEsporte.com divulgou o logo em cores, mas sem o nome BRAZIL. Dando a informação de que ele havia sido escolhido entre sete diferentes opções por um grupo de “notáveis”, sendo estes: o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, o secretário-executivo da FIFA, Jérôme Valcke, o arquiteto Oscar Niemeyer, o escritor Paulo Coelho, a cantora Ivete Sangalo, a modelo Gisele Bündchen e o designer Hans Donner.

Wollner se manisfestou, dizendo “ser lamentável.”

Cheguei a ver semi-organizações de protestos com site e tudo mais. Blogs de design queriam lançar seus concursos para o envio de sugestões, de outro lado blog de publicidade lança seu concurso… virou um “auê“. Enqunato isso, informações importantes eram publicadas na web e poucos se davam conta disso. Tais informações foram publicadas de maneira espalhada, mas que se unidas formam inúmeras perguntas que tornam todo esse processo de “logo, escolha do logo, notáveis, Brazil e etc”, no mínimo, estranho e pouco explicado.

No dia 02 de junho, o Portal 2014 postou um artigo falando sobre o inconformismo dos designers brasileiros com o projeto. No fim do artigo cita que a ADG tinha um acordo com a FIFA para ela mesma coordenar o processo de escolha dos logos. Logo que li isso, tentei contato com a diretoria da ADG para falar mais sobre, pois, particularmente, eu nunca havia ouvido nada a respeito dessa missão da ADG e muito menos sobre um possível concurso entre escritórios brasileiros. Recebemos a seguinte resposta:

Estamos no momento aguardando um possível retorno da FIFA com mais informações para que possamos, caso contactados, dar alguma informação mas neste momento tudo que sabemos vem a ser o que tem sido circulado pela mídia e que não corresponde a informações oficiais e tem sido de uma maneira geral especulativas e incompletas.

Tudo o que temos conhecimento é relativo à uma primeira etapa do processo de seleção (informação publicada pela ADG), que foi cancelada pela FIFA e que, a partir de então, desenvolveu um novo e completo processo sem nosso conhecimento e participação, e sobre o qual não temos nenhum controle ou informação.

Caso a FIFA nos retorne com mais informações entraremos em contato.

Me enviaram junto o link onde foi publicado o processo de seleção dos escritórios. Como vocês podem ver, parece que foi um concorrência aberta. Contudo, alguém viu algum cronograma sobre o concurso ou qualquer outras informações que deixassem o processo mais transparente?

E mais: recebi a informação de alguém ligado a diretoria da ADG que, na verdade, a entidade indicou alguns top estúdios para que fizessem suas opções. Ou seja, não houve concorrência. Essa informação foi também publicada pelo portal iG, que fala sobre “agências convidadas”. Chega-se até cogitar que a CBF procurou as agências de seus patrocinadores.

Esse mesmo artigo coloca em xeque o “juri”de notáveis do logo, pois, segundo o iG, a CBF e a FIFA não confirmaram oficialmente isso. Contudo, o site especial para a Copa 2014 dentro do portal do Ministério do Turismo, publicou tudo isso.

E no último dia 10, a ADG soltou um comunicado oficial no seu site. Leia aqui.

Enquanto isso, no lustre do Castelo

Enquanto vemos essa bagunça que a FIFA fez por conta desse projeto, o Comitê Olímpico Internacional junto com o Comitê Rio 2016 dão um exemplo de transparencia em concorrências desse tipo.

Em 12 de abril, lançou o edital do concurso. Já nesse lançamento, havia todo o cronograma, regras, fases do processo e o que ia rolar em cada uma delas e até do valor que a agência vencedora iria receber. Tinha até o valor do pró-labore que as finalistas ainda irão receber para elaborarem suas propóstas. Tudo muito transparente.

Depois organizou um workshop para que fosse discutida a identidade visual dos Jogos. E ainda continua publicando sobre o processo de escolha do logo, como pudemos ver na última semana.

Um exemplo de valor dado ao design e de transparência a ser seguido. Pelo menos no que tange o processo. E não vou nem comentar a visão que o Comitê Rio 2016 teve da importância de tal projeto ser feito aqui no Brasil.

Enfim…

Não quero colocar em xeque a integridade de ninguém, nem da FIFA, da CBF, da ADG e muito menos dos designers e estúdios envolvidos nessa história. Apenas quero colocar os fatos para que todos vanhamos pensar juntos.

A FIFA faz um concurso (que parece que não foi um concurso), coloca gente pra trabalhar pra depois, inexplicavelmente, jogar todo mundo fora da jogada e sem dar explicações. Algum tempo depois, me aparece a imagem de um logo registrado na Europa (na mesma entidade em que a CBF registrou o seu) com o nome Brazil (com Z!) e 2014 + a forma do Troféu FIFA (e sem estar dentro do padrão FIFA, com aquele selo da parte inferior até a lateral direita). Era claro que isso ia dar no que deu. E as coisas estranhas não param por ai: segundo as notícias, o tal logo foi feio por um escritório francês chamado Richard A. Buchel. Você chegou ver o que o Google apresenta numa busca por esse nome? Nada! Somente as notícias sobre esse logo. Como uma empresa que trabalha pra FIFA e UEFA não tem, no mínimo, uma “home-page”? Se fosse minha empresa, eu adoraria mostrar esses trabalhos (olha o ego =). Impossível não é, mas é um pouco estranho. No Pipl, que é uma espécie de Google de pessoas, eu achei esse nome, e junto dele uma tag interessante: “FIFA Marketing”.

Antes de falarmos da marca em si, sobre seu design e etc., fiz questão de correr atrás dessas informações pois… está tudo muito esquisito. E ao que tudo indica, somente no dia 08 de julho, data do lançamento oficial da Copa 2014, saberemos qual é a real (e quais são as especulações, que não devem ser poucas).

E vocês, o que acham disso tudo?

____________________________________________________________


Update

Nessa semana, uma fonte do LOGOBR que participou em um dos projetos feitos aqui no Brasil para a FIFA (e que foram rejeitados), nos enviou uma imagem do briefing original, passado pela FIFA. Dá uma olhada.

Perceberam algo?
O logotipo que é (supostamente) o de 2014 não está de acordo com que o briefing pede. Falta o lettering inferior.

Isso pode colocar em xeque a tal imagem que está rolando por ai, não? Ou mesmo mostrar a falta de coerência da FIFA e provar que toda essa coisa de trazer a criação do logotipo aqui pro Brasil foi só história pra boi dormir.

Mais perguntas…